Resumo do livro Antologia do Conto Brasileiro do Romantismo ao Modernismo de Douglas Tufano

Introdução

A “Antologia do Conto Brasileiro do Romantismo ao Modernismo”, escrita por Douglas Tufano, é uma coletânea de contos que abrange um período importante da literatura brasileira, desde o Romantismo até o Modernismo. Neste resumo, exploraremos os principais aspectos dessa obra, destacando os contos mais representativos de cada período.

O Romantismo

No início do livro, Tufano nos leva a uma viagem ao período do Romantismo, destacando contos que retratam os sentimentos exaltados, a idealização do amor e a relação com a natureza. Entre os contos selecionados, podemos citar “A Pata da Gazela”, de José de Alencar, que aborda a temática do amor impossível, e “O Alienista”, de Machado de Assis, que critica a sociedade através da história de um médico que enlouquece.

O Realismo

Em seguida, o autor nos apresenta contos que representam o período do Realismo, marcado pela objetividade, pela crítica social e pela busca pela verossimilhança. Um dos contos mais emblemáticos desse período é “O Cortiço”, de Aluísio Azevedo, que retrata a vida em uma habitação coletiva no Rio de Janeiro, evidenciando as desigualdades sociais e as condições precárias de vida.

O Naturalismo

Tufano também dedica uma parte da antologia ao Naturalismo, movimento que se desenvolveu a partir do Realismo, mas com uma abordagem mais determinista e científica. Nessa seção, encontramos contos como “A Cartomante”, de Machado de Assis, que explora o tema do destino e da superstição, e “O Homem que Sabia Javanês”, de Lima Barreto, que critica a falsa erudição e a hipocrisia da sociedade.

O Parnasianismo

Outro momento importante da literatura brasileira abordado na antologia é o Parnasianismo, movimento que valorizava a forma e a estética na poesia. Nessa seção, Tufano seleciona contos que apresentam uma linguagem mais cuidada e uma preocupação com a musicalidade das palavras. Destaca-se o conto “A Nova Califórnia”, de Lima Barreto, que satiriza a busca desenfreada por ouro e riquezas durante a época da corrida do ouro.

O Modernismo

Por fim, o autor nos conduz ao período do Modernismo, marco de uma ruptura com as tradições literárias e uma busca por uma identidade nacional mais autêntica. Nessa parte da antologia, encontramos contos como “A hora e a vez de Augusto Matraga”, de Guimarães Rosa, que retrata a trajetória de um homem em busca de redenção, e “A menina morta”, de Cornélio Pena, que aborda a temática da morte e do luto.

Conclusão

A “Antologia do Conto Brasileiro do Romantismo ao Modernismo” é uma obra que nos permite mergulhar na riqueza da literatura brasileira, explorando diferentes períodos e movimentos. Com uma seleção cuidadosa de contos representativos, Douglas Tufano nos oferece um panorama abrangente e enriquecedor da nossa história literária.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *